TheGoldenAura

…criança outra vez.

Monday, September 13th, 2004

chaplin

Hoje saí de casa. Já não estava habituado, as coisas moviam-se sozinhas mesmo quando eu estava parado.

Recordei que as pessoas não só têm cor e som, também têm cheiro.

Encontrei um vagabundo (o único dos homens livres), tinha cor, som e cheiro, e tinha um relógio, um relógio com um botão.

Tags:

3 Responses to “…criança outra vez.”

  1. Madalena Pestana Says:

    :) :) :)

  2. Anonymous Says:

    Um relógio! Um relógio com um botão! Essas máquinas infernais de medir o tempo.
    Estas “pequenitas” máquinas, com ou sem botões,de plástico ou de ouro,mais precisos ou mais anarquicos, com ou sem marca, são os objectos que mais escravizam e castra qualquer ser, pode-se mesmo arriscar, que são um dos simbolos da escravatura dos tempos actuais.
    Só o facto de medir o tempo, já é complicado. Depois propõe-se medir uma coisa que a máquina mais perfeita não consegue. Mesmo tendo-se inventado um tempo próprio para essa máquina medir, nem esse tempo consegue medir com precisão absoluta. O Outro, o tempo real, esse é incomensuravel, é o Universo no seu movimento perpetuo,incomensuravel, é o “relógio dos vagabundos” ou melhor, o tempo pára, para os vagabundos passem, no seu tempo.
    Os vagabundos abominam os relógios…qualquer que seja, mas adoram as cores, os cheiros e os sons. As crianças, como candidatos a escravos, que são, naturalmente, adoram os relógios, mas é preciso ensinar-lhes o nome das cores, a ouvir e distinguir os sons e a sentir os cheiros.

    Assina: Navegante do mundo

  3. Anonymous Says:

    Vagabunda no sangue e no olhar, transpira aromas de mel, limão e semi-verdades. O relógio pesa-lhe no corpo, solta-lhe os sentidos e fá-la voar para além de todos os telhados.
    Poisar é condição efémera.
    Acontece às vezes, pela noite dentro, quando o ciclo (quase) se completa e o silêncio se confunde com doçura, que a vagabunda resolve adormecer … para logo acordar, não fosse o nome do sono traição.
    Um dia resolveu dividir-se em dois e entrou em diálogo.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.