TheGoldenAura

… esperança.

Friday, January 21st, 2005

africa

“Da la impresión de que África está abrumada por sus problemas: guerras, matanzas, golpes de estado, crisis políticas y sociales, dictaduras, enfermedades, éxodos… Pero aquí también hay mujeres y hombres que luchan por sus derechos y su dignidad, proliferan las asociaciones cívicas, perduran las experiencias democráticas, los creadores, artistas y artesanos tienen una vitalidad enorme, y las sociedades, cada vez más urbanizadas, avanzan, se transforman y encaran el futuro con confianza.”

Ignacio Ramonet

mais…

5 Responses to “… esperança.”

  1. Bandido ORiGInAl Says:

    Se a deixarmos, Africa tal como a Europa, concerteza se irá desenvolver.

    Zurugoa está atenta e irá continuar a intervir quando necessário de forma a ajudar os nossos irmãos no planeta terra.

    http://zurugoa.blogspot.com

    Salut

  2. Anonymous Says:

    http://www.observador-atento.blogspot.com/

  3. mfc Says:

    Não sei não… isto não é fácil!

  4. Anonymous Says:

    Claro que existem em Africa Mulheres e Homens, com espirito critico, humanitário e preocupados com a evolução do Planeta.
    Mas a questão que se deve por é a seguinte:

  5. Anonymous Says:

    O tema é interessante, porque abordo duas dimensões que neste caso são antagónicas.
    1ª A Esperança, que é algo imaterial, que se pode definir na unidade “tempo”. Esperança no amanhã, Esperança, nas horas seguintes e por aí fora…. .
    2ª África, onde o conceito de tempo não existe, tudo se vai fazendo, nada tem pressa, pelo calor, por falta de condições,pela sdoenças, pela forma de estar dos Africanos, etc. .
    As guerras, matanças, golpes de Estado, etc, são imposições dos Países, cujas economias dependem das matérias primas, que só existem no Continente Africano.

    Portanto, essas Mulheres e Homens, artesãos, associações civicas etc. aparentam uma enorme vitalidade, porque são normalmente encabeças por “Africanos de Fora”, e mesmo se compararmos percentualmente a população Africana no seu todo, com o numero dessa pessoas activas, talvez se conclua que isso tende para zero, não tem expressão.
    Infelizmente é assim, é bom que não nos conformemos com o assunto, mas daí a encarar o futuro com confiança vai uma grande distância, até porque a única certeza, que neste momento, que expresso a minha opinião, a confiança no futuro de milhões de Africanos, é que daqui a uma hora estejam vivos. A fome, a Sida, A Tuberculose, A Malária, matam mais, cada uma por si, que todas as questões apontadas no artigo todas juntas.

    Navegante do mundo