TheGoldenAura

NZZB, uma rota inesquecível

Tuesday, February 23rd, 2010

Quase 5000 km entre a Namíbia, Zâmbia, Zimbabué e Botsuana, com rota definida pelos vários parques naturais destes países, em companhia da família e amigos.

Chegamos a Windhoek, capital da Namíbia, partindo rapidamente para o Etosha National Park.

Ficámos hospedados no Okaukuejo Camp, um lodge com a particularidade de estar situado ao lado de um waterhole por onde passam os animais ao longo do dia e da noite para saciarem a sede das altas temperaturas. O Etosha é um parque enorme, excelente na diversidade e na quantidade de animais: leões, girafas, zebras, kudus, springboks, hienas…

Seguiu-se o Ongava, uma reserva natural situado ao lado do Etosha. Este parque é conhecido pelos seus rinocerontes, mas só alguns do grupo (os mais persistentes) tiveram o privilégio de os ver.

Seguimos caminho para a Faixa de Caprivi, pernoitando no Divava.

Escondido na margem do Okavango este lodge tem umas vistas privilegiadas sobre o rio.

O caminho continuou até à Zâmbia.

Ficamos no “The Royal Livingstone”. Relaxar e recuperar forças, envolvidos por uma atmosfera colonial e pela energia especial de Victoria Falls.

Os mais de 1700 metros de linha de água são ainda mais impressionantes quando vistos desde o Zimbabué.

O próximo destino foi o Chobe National Park, com “game drive” por terra e pelo rio. Vimos vários animais, mas foram os elefantes e hipopótamos que proporcionaram os momentos mais magníficos.

Do Chobe seguimos para Kasana onde nos esperavam pequenas avionetas para viajar com destino a Xudum, em pleno delta do rio Okavango.

Esta viagem num velho “cessna” foi um dos pontos altos, sobretudo a aterragem no meio da savana numa pista de terra batida improvisada.

Seguiram-se mais umas horas de jeep por caminhos que eram mais apropriados para barcos.

O Xudum foi um dos lodges mais bonitos de toda a viagem. A distância da civilização, as paisagens únicas, o pôr-do-sol inesquecível e o staff acolhedor, tornam difícil o regresso.

Começamos a viagem de regresso com destino a Swakopmund, parando em Lianshulu Mudumu e no Rundu, passeando de barco pelo rio Cubango, a fronteira natural entre a Namíbia e Angola.

Com base em Swakopmund, fomos ver a colónia de focas de Cape Cross. São milhares, comendo cada uma entre 15-30 kg de peixe por dia!!!

Para terminar as férias, passeamos pelas maiores dunas de areia do mundo.

O corpo não esquece o calor e na memória ficam gravadas as cores, os cheiros e a música que embalava as noites com o cantar hipnótico dos animais.

NOTA: Tenho mais de 5000 fotografias feitas com uma Olympus E420 com as objectivas 25mm e 40-150mm. Senti a falta de uma teleobjectiva e de um bom tripé mas estou contente com a resistência do material, a poeira fina e a humidade chegaram a pontos críticos, condições que o material suportou sem problemas. Tenho mais 12 horas de video HD filmados com uma Sanyo Xacti e não sei quando é que vou ter tempo para editar :)

Tags: